Mais uma vez alguém me pergunta pessoalmente qual o meu status e eu digo que estou desenvolvendo algo e que recentemente coloquei no ar um outro serviço, etc.

Para não variar a pessoa me pergunta se estou estudando. Digo que eu estudo diariamente, que dedico a maior parte do meu tempo aos estudos do que me interessa e que se a pergunta for na realidade se estou em um curso superior a resposta também é afirmativa.

Perguntam o curso. Respondo design. Começam a dar palpites na minha vida dizendo que eu deveria fazer ciências da computação, etc.

Respondo que eu sei me virar buscando fazer o que bem desejar e o curso que faço é secundário, algo suplementar. Ao invés de se satisfazer com a resposta, a pessoa decide que vai ali decidir o meu futuro naquele exato momento.

E então começa a dar palpites e sugestões. Sem ter o menor saco de responder falo que mesmo se eu quisesse teria que me dedicar custosamente para passar em um curso gratuito aqui (através de um vestibular bobo para decorebas), já que faltam-me recursos financeiros para bancar um pago em alguma renomeada universidade, e que os pagos aqui não me deixariam satisfeito.

Aí começam a surgir mais palpites e sugestões que a pessoa poderia guardar para si. Entre eles que eu poderia "poderia fazer um curso de um pessoal muito bom". Digo que não estou interessado, pois um pessoal muito bom sou eu. A pessoa insinua que eu estou me achando muito.

Uma semana depois. Tudo se repete. Com outras pessoas, igualmente leigas e com mentes fechadas que acham que apenas na faculdade que se aprende as coisas.